Domingo, 21 de Março de 2010

Poema - Repasto

(do meu livro «Animais»)

 

caes_iloveyou.jpg Comi de tudo, da vida fiz repasto.

Até daquilo que provei, mesmo nefasto,

fui recolhendo e amarrei num bouquet.

Viagens, fiz algumas; reparei,

do mar, ter um receio que só eu sei!...

Dos aviões nunca tiraria brevet (...)

 

Assim, me limitei aos pés na terra

porque é difícil viajar, (está tudo em guerra...

por todo o lado são países desavindos).

Reduzi o meu espaço ao meu país;

e hoje, faço aquilo que não fiz,

contando no bouquet ramos infindos.

 

De moça nova que era, namorei;

e alguns corações despedacei

mas, no correr dos anos, são fatais

as trocas. Que prefere o ser humano?

Quando a idade avança, o que é mundano

passa. A mim... ficaram-me os animais!

-----------------------------------------

29/09/2002

Laura B. Martins

Soc. Port. Autores n.º 20958

publicado por LauraBM às 23:34
link do post | E custa, comentar neste blog? | favorito
 O que é?
1 comentário:
De Wladimir a 2 de Outubro de 2008 às 11:49
Legal seu blog, gostei muito dso conteúdos. Parrabéns, sempre que puder retornarei


Comentar post

*veja como eu sou

*subscrever feeds

*meter o nariz no blog

 

*Novidades no blog

* Poema - Alentejo e girass...

* Poema - Margem Sul

* Poema - Quinta do Anjo

* Poema - Patriotismo!

* Poema - Remorso!

* Poema - Encontro na marqu...

* Poema - Faca afiada

* Poema - Lar... doce lar!

* Poema - Difícil...

* Poema - Queres sair?

* Poema - Admirável mundo n...

* Poema - Meu universo rest...

* Ginástica? Não, obrigada...

* Poema - Zero horas

* Poema - Dispersos

*Antiguidades óptimas

*Também gostará de:

* 10 blogs para conhecer no...

* Sua presença basta

* Poema - Mais vale guardar...

*Links especiais dos Blogs da minha autoria

blogs SAPO