Sexta-feira, 11 de Junho de 2010

Poema - Fartas do progresso

(do meu livro <Meu mundo 'cá dentro'>)

 

Mais uma casa se ergueu

e tapou aquela brecha,

impedindo que eu espreitasse

um pouco de longitude.

Um pouco de mim morreu.

Senti como se uma seta

de encontro ao peito espetasse,

na paisagem, algo rude.

 

No mundo só há tijolo.

Sentiste-te encarcerada

quando do pátio arrancaram

única árvore que havia.

Servir-te-ei de consolo?

Também não enxergo nada (...)

«Tudo que é grátis, tiraram».

Amiga, disseste um dia!

 

----------------------------

17/01/2002

Laura B. Martins

Soc. Port. Autores nº 20958

publicado por LauraBM às 21:20
link do post | E custa, comentar neste blog? | favorito
 O que é?

*veja como eu sou

*subscrever feeds

*meter o nariz no blog

 

*Novidades no blog

* Poema - Alentejo e girass...

* Poema - Margem Sul

* Poema - Quinta do Anjo

* Poema - Patriotismo!

* Poema - Remorso!

* Poema - Encontro na marqu...

* Poema - Faca afiada

* Poema - Lar... doce lar!

* Poema - Difícil...

* Poema - Queres sair?

* Poema - Admirável mundo n...

* Poema - Meu universo rest...

* Ginástica? Não, obrigada...

* Poema - Zero horas

* Poema - Dispersos

*Antiguidades óptimas

*Também gostará de:

* 10 blogs para conhecer no...

* Sua presença basta

* Poema - Mais vale guardar...

*Links especiais dos Blogs da minha autoria

blogs SAPO