Sábado, 10 de Fevereiro de 2007

Poema - Balanço!

(do meu livro «Sonhando acordada»)

 

Entre a vida e a morte balançada,

no olhar arredio lágrima redentora,

descrente da sorte, alma perturbada,

espírito fugidio... é a morte a salvadora!

 

Fuga dos cobardes. Morte!

Fuga dos vencidos, dos sem sorte,

dos desafortunados, esquecidos,

desencontrados, perdidos

na multidão compacta

que lhes escreve em acta:

Morte! É a tua sorte!

Que lhes aponta o dedo,

e repete,

ininterruptamente adverte:

Não te conheço! Degredo!

 

Solidão permanente entre uma multidão,

de desconhecidos. Miragem! Ilusão!

Desconhecem o anseio

de pendurar ao pescoço, com enleio,

um letreiro: - Vou matar-me!

Mas só quero gritar;

chamar a atenção de alguém,

que por bem,

venha ajudar-me!

 

Correm mais lágrimas, dum choro inútil,

desconhecido dos outros,

solitário, fútil...

Estou só, por dentro e por fora...

Quem sou eu? Para que sirvo?

Nada me resta, agora...!

 

---------------------------

19/11/2001

Laura B. Martins

Soc. Port. Autores nº 20958

publicado por LauraBM às 22:56
link do post | E custa, comentar neste blog? | favorito
 O que é?

*veja como eu sou

*subscrever feeds

*meter o nariz no blog

 

*Novidades no blog

* Poema - Alentejo e girass...

* Poema - Margem Sul

* Poema - Quinta do Anjo

* Poema - Patriotismo!

* Poema - Remorso!

* Poema - Encontro na marqu...

* Poema - Faca afiada

* Poema - Lar... doce lar!

* Poema - Difícil...

* Poema - Queres sair?

* Poema - Admirável mundo n...

* Poema - Meu universo rest...

* Ginástica? Não, obrigada...

* Poema - Zero horas

* Poema - Dispersos

*Antiguidades óptimas

*Também gostará de:

* 10 blogs para conhecer no...

* Sua presença basta

* Poema - Mais vale guardar...

*Links especiais dos Blogs da minha autoria

blogs SAPO