Quinta-feira, 10 de Dezembro de 2009

Poema - Fadistas e poetas

(do meu livro «Ao correr da pena»)

 

A Poesia é imortal. É necessário entendê-la.

Pena que sejamos poucos a conseguir descrevê-la.

 

Os poetas vêem mais. Oiçam o que vou dizer:

Vejam pelos nossos olhos, o que não souberam ver.

 

Crêem os poetas loucos, sofrendo da mioleira.

Enquanto escrevemos versos, outros só fazem asneira.

 

As guitarras e violas acompanham a preceito.

Dedilham-nas outros homens, também loucos, no seu jeito.

 

Na vida tem outros loucos. Creiam no que vou dizer:

São fadistas portugueses, cantando o nosso escrever!

 

Somos loucos nesta vida. Depois do nosso morrer,

ao longe inda ouvirão vozes contando o que foi viver.

 

Ah! Portugal, minha terra! Oh! Amália, embaixatriz!

Os fadistas são poetas, dando voz ao meu país!

 

-----------------------------

18/07/2001

Laura B. Martins

Soc. Port. Autores nº 20958

publicado por LauraBM às 22:38
link do post | E custa, comentar neste blog? | favorito
 O que é?

*veja como eu sou

*subscrever feeds

*meter o nariz no blog

 

*Novidades no blog

* Poema - Alentejo e girass...

* Poema - Margem Sul

* Poema - Quinta do Anjo

* Poema - Patriotismo!

* Poema - Remorso!

* Poema - Encontro na marqu...

* Poema - Faca afiada

* Poema - Lar... doce lar!

* Poema - Difícil...

* Poema - Queres sair?

* Poema - Admirável mundo n...

* Poema - Meu universo rest...

* Ginástica? Não, obrigada...

* Poema - Zero horas

* Poema - Dispersos

*Antiguidades óptimas

*Também gostará de:

* 10 blogs para conhecer no...

* Sua presença basta

* Poema - Mais vale guardar...

*Links especiais dos Blogs da minha autoria

blogs SAPO